Hugo Curti

Bacharel em Educação Física – USP e Terapeuta da Comunicação em formação – Voz do Ser. Indica o cuidado da mente como fator motivacional e o caminho mais efetivo para cuidar do corpo.

Quem manda em quem?

O falar sobre o assunto “mente e corpo” é muito legal e pautado como algo que devemos seguir nos nossos dias, mas qual é realidade sobre isso?

Hugo Curti

21 de setembro de 2020

Parece que sempre foi dito, cobrado ou uma forma de aconselhar alguém, dizer:  “você precisa cuidar da sua mente” ou “você precisa se exercitar para conseguir descansar a mente”. 

 

Mas o que é, de fato, considerar mente e corpo? Como eles se relacionam? Primeiro cuido da mente e depois do corpo ou primeiro do corpo e depois da mente? O que um conta sobre o outro?

Este assunto se perdeu um pouco pelo caminho desde que foi proposto e acabou se tornando algo supérfluo que, quando apresentado como algo a ser conversado, traz uma sensação de utopia ou de muito esforço para entender a relação existente entre mente e corpo.

 

Acho que a primeira pergunta que devemos fazer para entendermos essas questões iniciais é: o que é a mente e o que é o corpo?

No dicionário, mente significa: “parte incorpórea, inteligente ou sensível do ser humano; espírito, pensamento, entendimento”.

 

Pegando essa simples definição, podemos conversar sobre muitas coisas. Uma delas é: a mente não é algo físico, ou seja, é algo a ser considerado no nível energético e sensitivo. Outro fator importante é em relação ao pensamento, uma característica da mente que também não é física, sendo nossa principal ferramenta para o entendimento do relacionamento entre mente e corpo.

 

Antes de relacionarmos esses assuntos, podemos olhar para o corpo também a partir do dicionário, que traz a definição de corpo como “uma estrutura física de um organismo vivo”. Isso precisa ser entendido com muita sinceridade e clareza, pois o corpo é “uma estrutura de algo vivo”, que em outras palavras significa a manifestação da vida ou uma expressão da mente.

 

Acho que agora que entendemos isso, podemos começar a bater nosso papo, né?

Sabe quando você liga pra alguém e a pessoa fala só um “alô”, mas com uma sensação pesada e você sabe que ela está irritada com algo? Ou quando alguém está com a “cara fechada” e você também sabe que ela não está confortável com algo sem ter que dizer nada?

 

Isso só acontece, porque o corpo expressa o que a mente está pensando e sentindo. É nesse ponto que encontramos o relacionamento entre a mente e o corpo e passamos a entender quem vem primeiro em relação ao cuidado.

 

Vou agir diretamente no meu corpo ou vou cuidar da minha mente, para entender o que tenho pensado e sentido, que me levam a expressar o que tenho pensado com meu corpo?

 

Talvez agora tenha ficado claro o “porquê” da dificuldade de mudarmos hábitos, de iniciarmos uma rotina de treino, uma dieta ou de nos adaptarmos a um novo ambiente de trabalho.

Por isso, é tão importante não separarmos esses assuntos, pois eles não são assuntos separados.

 

Cuidar da mente é o caminho mais rápido e o mais efetivo, para quem deseja se sentir mais coerente com seu corpo, com suas próprias expressões e atividades.

 

Vamos treinar esse alinhamento juntos?

Hugo Curti

LEIA TAMBÉM