Bia Caserta

Bia Caserta ou Bia CS Personal Trainer é personal trainer e especialista em postura corporal e acompanhamento físico.

Avaliação física postural e funcional: a largada para seus resultados!

Será mesmo que seus treinos foram traçados para você?

Bia Caserta

21 de setembro de 2020

“Bia, claro que foram! Meu personal ou professor de sala da academia, disse que iria elaborar um treino voltado para o meu objetivo e minhas necessidades. Fiz avaliação física, daquelas que você sobe na balança e sai toda composição corporal e conversei com ele sobre minha rotina diária.”

 

Diria que essa seria uma bela abertura para esse tema que escolhi escrever para vocês.

 

Fazer avaliação antropométrica somente ou não fazer nenhum tipo de avaliação física para ter um treino elaborado, seria o mesmo que seguir treinos de blogueiras ou qualquer outro indivíduo. Mas, nunca será o seu treino, aquele prescrito para as suas necessidades e consequentemente o mais funcional para você!

 

Qual o resultado disso? Simples: o atraso dos seus objetivos e o risco de lesões por movimentos, que podem não ser adequados à sua fase de treinamento e condições musculoesqueléticas.

 

A avaliação postural se faz importante para detectarmos desequilíbrios musculares, identificar se são provenientes de alterações osteoarticulares ou somente encurtamentos e inibições – que geram fraquezas por má postura e alterar o padrão motor do indivíduo, tanto estática quanto dinamicamente – além de estarem impedindo o desenvolvimento estético desejado do músculo alvo e seu aproveitamento nos treinos.

 

O aluno deve ser observado como um todo, pois um desequilíbrio postural jamais irá se apresentar isoladamente, então, assim como a análise postural, o treino do aluno também deverá ser elaborado visando o global. Assim, os segmentos que não estiverem compatíveis com o eixo perpendicular ao solo, estarão em desequilíbrio.

 

Costumo dizer que não lidamos com robôs, que quando tem um joelho fraco troca-se a perna. Nós, seres humanos, não tratamos apenas os músculos que envolvem o joelho quando precisamos fortalecê-lo, mas sim toda musculatura que engloba sua sustentação como pelve e músculos do tronco. Então, se por algum motivo tais estruturas estiverem em desequilíbrio, o joelho nesse caso sofrerá as consequências!

 

Há também a influência de fatores psíquicos na postura e nas dores, fato a mais que nos obriga a entender como é a vida do nosso aluno na hora elaborar um treino personalizado.

 

É justamente na avaliação postural e anamnese, que conseguimos ao identificar os desequilíbrios e possíveis motivos, entender quais músculos estão hiperativos (encurtados) e quais estão sendo inibidos por tais hiperatividades. – Sim, músculos encurtados podem inibir a ação de outros.

 

Dessa forma, é possível prescrever, de forma mais segura e certeira, tanto a sessão de treino do aluno, quanto os alongamentos que deverão ser feitos por ele, em um primeiro momento.

 

Após feita a análise postural e anamnese, para entender melhor sobre a rotina dessa “persona” que estamos lidando, podemos identificar também os aspectos emocionais, como estresse, que podem ser os agentes que causam seus desequilíbrios ou dores – além de entender sobre como tal indivíduo se posiciona durante a maior parte do dia e instruí-lo quanto a ergonomia dos ambientes usuais.

 

Ao reorganizar as rotas miofasciais e reestruturar as cadeias musculares, o treino passa a gerar resultados muito mais sólidos e objetivos, mas sem esquecer da alimentação, que é um ponto essencial para quem deseja atingir bons resultados tanto estéticos quanto a saúde de forma global. – Ficar horas treinando glúteos e não conseguir desenvolvê-lo, por exemplo, não será mais um problema, quando os agentes que impedem sua boa ativação forem identificados!

 

Para fazer uma boa avaliação postural, utilizamos materiais objetivos e subjetivos.

 

Objetivos = (fotos)

 

Subjetivos = Tato e visão, onde analisamos o cliente nas posturas necessárias, para avaliar desvios e quando necessário alguns testes, como “trendelemburg”, análise do posicionamento das escápulas ou mesmo uma avaliação respiratória, podem ser feitos.

 

Em meu Instagram, tenho muitos posts interessantes que envolvem a importância da avaliação postural e um post sobre a influência do posicionamento da pelve na respiração – fator esse que, através da análise postural, dependendo do caso, pode ser tratado para a obtenção de melhores resultados!

 

E agora? Será mesmo que os seus treinos foram traçados para você?