Cartão de crédito: Como evitar dívidas gigantes no fim do mês

Aprenda dicas básicas de como lidar com o cartão de crédito, para que ele não se torne um pesadelo se você não tiver limite(s).

Victorya Nascimento Batista*

Sob supervisão de Filipe Vasconcelos

17 de setembro de 2020

Cuidado com as pequenas compras no cartão de crédito, elas podem ficar ENORMES no fim do mês.

Compras a crédito fazem parte do cotidiano da maior parte da população brasileira. Embora muitos achem isso normal, há quem se enrole com as contas no fim do mês. Pensando nisso, resolvemos entender a melhor forma de como lidar com o cartão de crédito e ensinar para você a principais dicas do mercado para lidar com o “pedacinho de plástico”.

 

A princípio, o cartão parece ser um ótimo aliado, facilitando compras, reformas urgentes, pequenos imprevistos e assim por diante. O problema vem depois: a conta.

 

Se não tomar o devido cuidado, o seu cartão pode “se virar contra você” e, num piscar de olhos, todas aquelas viagens por aplicativo ou pedidos de comida com “cuponzinho”, podem virar uma bola de neve no fim do mês.

 

Sendo mais clara, pequenos gastos frequentes no mês podem chegar ao valor da parcela de carro – pense nisso.

 

Então, como lidar com as compras do cartão de crédito sem se perder em pequenas compras e parcelas infinitas?

 

Acredite, como usuária dessa ferramenta magnífica do capitalismo, lidar com o cartão de crédito tem suas dores de cabeça – principalmente se você cede a compras impulsivas  – e parcelamento de dívidas é uma coisa da qual você vai querer passar longe.

 

1 – Taxas e Anuidades

Fique de olho. As taxas e anuidades mudam de acordo com a administradora do cartão. Por conta disso, as taxas de um cartão nunca serão iguais a do outro, então busque sempre  escolher cartões com anuidade e taxas mais baixas ou nenhuma – alguns bancos digitais já fazem isso.

 

2 – Nacional ou Internacional

Como mencionamos acima, algumas taxas são cobradas dependendo da administradora e do tipo de cartão. Anuidades de cartões internacionais normalmente tendem a ser mais caras do que as dos cartões nacionais, então avalie bem se vale a pena ter um cartão que cobra uma taxa mais cara se você não faz compras internacionais com frequência 1, 2, 3…

Não aceite todos os cartões que chegam até você. Ter muitos cartões na carteira pode trazer muitos problemas, como o acúmulo de parcelas que podem ser difíceis de quitar depois de um tempo. Se possível, use apenas um cartão – opte por aquele que melhor servir para suas necessidades.

 

3 – Planejamento

Planejar essencial para não se perder. Faça tabelas com os gastos do mês e crie uma exclusiva para o cartão de crédito. Você também pode baixar aplicativos vão te auxiliar a ter uma ideia dos seus gastos por mês – há diversos aplicativos disponíveis no Google play e Apple Store, escolha o mais fácil.

 

4 – Limite(s)

Não abuse. As dívidas são um compromisso, você vai ter que pagar em algum momento. Então, não adianta ter um cartão que tem $10.000 de limite se você ganha $1.200 por mês. Administradoras de cartão tendem a aumentar o limite de tempos em tempos, principalmente se você não tem grandes dívidas ou empréstimos, mas o bom senso é fundamental nessas horas.

 

Por isso, fique atento: quanto maior o limite, mais fácil para você se enrolar. Estabeleça um limite de 50% do valor do seu salário para utilizar no cartão de crédito para não transformar a fatura em uma bola de neve.

 

Por fim, a última dica é algo bem simples: se puder, pague à vista.